Estado de arte

Temporada de festivais de inverno de Minas Gerais promete atrações populares, nomes da cultura erudita, debates e oficinas culturais. Inscrições para oficinas já estão abertas

Eduardo Tristão Girão – EM Cultura

Em duas semanas estará aberta a temporada dos festivais de inverno em Minas Gerais, fazendo com que o mês de julho seja tomado por todo tipo de atividade ligada à arte, de aulas e palestras a grandes shows, envolvendo pelo menos 10 cidades de várias regiões do estado. Em cada programação há uma série de ações gratuitas e abertas ao público e é preciso ficar atento para não perder prazos e ficar de fora das oficinas, pois a maioria das inscrições já está aberta e algumas do Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais terminam hoje.

 Como de costume, a maioria dos festivais conta com duas linhas de atuação: uma mais popular, com shows gratuitos, e outra mais específica, voltada para quem busca conhecimento em oficinas e palestras. Na área do entretenimento, vale destacar a vinda de grandes nomes da música e dança brasileiras, sobretudo, aos festivais de inverno mineiros, como Maria Bethânia, Cia de Dança Deborah Colker, Paula Fernandes, Milton Nascimento, Duo Assad, Elza Soares, Titãs, Dudu Nobre, Uakti e Barbatuques. A temporada começa dia 1º, em Ouro Branco, com Maria Bethânia e seu espetáculo poético Bethânia e as palavras.

 Entre as palestras e oficinas, não faltam oportunidades imperdíveis, tendo como um dos melhores exemplos o Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, que chega a sua 22ª edição, em Juiz de Fora. Lá estarão reunidos, por exemplo, renomados músicos brasileiros de várias regiões para dar cursos e o grupo francês Doulce Mémoire para master classes. Já no Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes, o público que comparecer às oficinas terá chance de aprender pessoalmente com o músico Hermeto Pascoal e o grupo teatral Espanca!, entre outros nomes.

“Vínhamos decaindo, cheios de problemas. As dificuldades são muitas, principalmente em termos de financiamento. O jeito é ousar, por isso o festival consegue se manter. O evento muda naturalmente, entra em saturação de tempos em tempos e se renova. Isso porque é e sempre será espaço de encontro”, analisa Fabrício Fernandino, coordenador geral do Festival de Inverno da UFMG, em sua 43ª edição. Este ano, o evento voltou a ter sua duração original, de um mês, e pela primeira vez será realizado de maneira descentralizada, envolvendo Belo Horizonte, Brumadinho, Cataguases, Diamantina e Tiradentes.

 “Zonas de interferência ” é o tema da UFMG este ano. “Ele representa as ações que cada cidade vai irradiar e como elas vão se relacionar. Começaremos em Tiradentes para consolidar a presença da universidade na cidade, onde estamos restaurando o Museu Casa de Padre Toledo. Faremos de Tiradentes um campo avançado da cultura. Em Cataguases o enfoque será em tecnologias multimodais e em Diamantina manteremos as várias áreas da programação, como de costume. Já Belo Horizonte e Brumadinho sediarão mesas-redondas e palestras sobre arte, cultura e conhecimento”, explica ele.

Experimentação

 Em Ouro Preto e Mariana, o festival terá, desta vez, incremento na parte de seminários e oficinas, mas sem deixar os grandes shows de lado. “Reforçamos o nosso Fórum das Artes, pois além dos espetáculos, há um momento importante no evento que é o de discussão e reflexão. Por isso trouxemos vários fóruns para cá, como os de cultura livre, de arte educação e de educação patrimonial. Alguns, como este último, eram iniciativas independentes que trouxemos para dentro do festival”, afirma Geuder Martins de Carvalho, coordenador de programação do festival.

 Alem das cerca de 50 oficinas, o festival nas duas cidades históricas terá shows que certamente vão atrair público grande, como os de Hermeto Pascoal, Milton Nascimento, Paula Fernandes, Paralamas do Sucesso, Orquestra Tabajara, Otto e Dudu Nobre. Vale destacar, ainda, o show de Elomar, artista dono de uma das mais significativas obras da música brasileira e cujas apresentações, atualmente, são raras. “Há pressão por nomes populares na programação do festival, mas é importante trazer também nomes que nem sempre estão na grande mídia, como o de Antônio Nóbrega e Elomar. São todos artistas de alta qualidade”, analisa o coordenador.

Gosto popular

 Ciente de como o evento ganhou destaque no calendário turístico da região, a organização do 24º Inverno Cultural da Universidade Federal de São João del-Rei segue apostando em shows de peso. Durante as duas últimas semanas do mês que vem, o público poderá assistir de graça às apresentações da Cia de Dança Deborah Colker, Seu Jorge, Naná Vasconcelos, Kid Abelha, Capital Inicial, Titãs, Elza Soares, Barbatuques e Jaques Morelenbaum. “Esses grandes espetáculos são a possibilidade de levarmos cultura para todo tipo de público”, diz a coordenadora geral do festival, Telma Resende.

 No entanto, tamanha ênfase na parte de entretenimento não significa o menosprezo das oficinas e palestras. Para ela, trata-se da alma do festival: “Essa parte é importante para nós pelo caráter formativo e a possibilidade de interação com outros projetos de extensão da universidade”. O número de vagas, acrescenta, aumentou de 1.060 para 1.313 do ano passado para cá, permanecendo inalterada a quantidade de oficinas – 60 – englobando várias áreas da arte. Naná, Jaques e Barbatuques estão entre os artistas que ministrarão oficinas.

 Festival de Inverno Universidade Federal de Minas Gerais

De 8 de julho a 7 de agosto

• Inscrições do dia 27 deste mês a 13 de julho

(no caso das oficinas que envolvem seleção, o prazo termina hoje)

• Atrações e oficinas em Belo Horizonte, Brumadinho, Cataguases, Diamantina e Tiradentes

 Inverno Cultural da Universidade Federal de São João del-Rei

De 16 a 30 de julho

• Inscrições do dia 27 deste mês a 1º de julho

• Atrações e oficinas em São João del-Rei e Barroso

  Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes

De 8 a 24 de julho

• Inscrições abertas e disponíveis enquanto houver vagas

• Atrações e oficinas em Ouro Preto e Mariana

 Festival de Inverno de Ouro Branco

De 1º a 10 de julho

• Inscrições até 22 deste mês

• Atrações e oficinas em Ouro Branco e distritos vizinhos

Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga

De 17 a 30 de julho

• Inscrições até dia 16 de julho

• Atrações e oficinas em Juiz de Fora, Prados e Tiradentes

 Disponível em: http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_11/2011/06/17/ficha_teatro/id_sessao=11&id_noticia=40045/ficha_teatro.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s