2012 é mais cultura

Segue algumas das atrações que devem movimentar o calendário cultural de 2012 em Belo Horizonte (O Tempo online)

– ARTES VISUAIS –

Ainda no primeiro semestre de 2012,
o Inhotim inaugura duas novas galerias dedicadas ao trabalho de relevantes personagens da arte contemporânea nacional: Lygia Pape (foto) e Tunga. Para setembro, está prevista a inauguração de outras duas galerias, ocupadas pelo artista dinamarquês Olafur Eliasson e a espanhola Cristina Iglesias. Importante reduto da arte italiana, a Casa Fiat recebe exposições de Caravaggio, em abril, e De Chiricco, em maio. O MAP, por sua vez, vai abrigar exposições e seminários voltados à domesticidade do espaço coletivo e às relações entre museu e cidade. (Daniel Toledo)

Com curadoria do suíço Joerg Bader e abertura prevista para maio, a exposição “Segue-se a Ver o Que Quisesse” promete ser um dos destaques do Palácio das Artes neste ano. Totalmente dedicada à fotografia, a mostra reúne imagens produzidas em Minas Gerais ao longo dos últimos 60 anos, por cerca de 40 artistas. Em setembro, o Palácio, ao lado de outros espaços da cidade, recebe a 4ª Bienal Brasileira de Design (foto), em sua primeira visita a Belo Horizonte. Também no Palácio, destaque para a mostra da Residência Ceia, em março, e para ampla exposição de videoarte, programada para novembro.(DT)

</

– ARTES CÊNICAS –

Ao menos três dos principais grupos mineiros geram expectativa altas para seus novos trabalhos. A Luna Lunera lê a obra de Clarice Lispector como livre inspiração para um espetáculo cujo tema será o prazer. Os ensaios, com direção coletiva (como em “Aqueles Dois”), devem começar entre fevereiro e março. Em agosto, o Espanca! estreia “O Líquido Tátil”, dirigido pelo argentino Daniel Veronese. E o Grupo Galpão reencontra Gabriel Villela para remontagem de “Romeu e Julieta” (abaixo, foto da primeira montagem), que abrirá as Olimpíadas de Londres – e ainda não tem data de apresentação em BH. (Luciana Romagnolli)


À frente da curadoria do FIT-BH (Festival Internacional de Teatro, Palco e Rua 2012), Marcelo Bones ainda está prospectando espetáculos, mas adianta que a programação deve contemplar o centenário de Nelson Rodrigues, os 30 anos do Grupo Galpão e os 20 anos da Cia. do Latão (na foto abaixo, com “Ópera dos Vivos”). De fora do país, aposta em espetáculos que fundem linguagens, como o do compositor alemão Heiner Goebbel (visto no Festival Internacional de Buenos Aires) e um do cineasta britânico Peter Greenaway (“8 1/2 Mulheres”), que constrói obras cinematográficas ao vivo. (LR)

O Sesc Palladium  promete para 2012 uma curadoria mais forte do que a apresentada até então. Destaque para atrações internacionais, dentre as quais a vinda, em junho, da companhia belga Point Zéro, com dois espetáculos sobre textos de Alejandro Jodorowsky (que também deve estar presente), e da companhia do coreógrafo Alvin Ailey (1931-1989), notabilizado por inserir elementos da cultura africana na dança moderna nos EUA. No fim do ano, John Malkovich surge em cena como Casanova, em “The Giacomo Variations” (foto). (LR)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s