Curiosidades

Shakespeare guardava comida para evitar a fome

Com medo de passar fome, o dramaturgo inglês William Shakespeare (1564-1616) tinha o hábito de ter em casa alimentos acima das suas necessidades imediatas.

Em ‘Coriolano’, a peça que escreveu em 1607, a fome está bastante presente. Em ‘Rei Lear’, de 1605, a fome e a importância dos alimentos voltam a ser falados. Hoje, os investigadores sabem que este era um tema que interessava bastante a William Shakespeare.

De acordo com um estudo da Universidade de Aberystwyth, durante um período de cerca de 15 anos, que correspondeu a uma altura de escassez de alimentos no final do século XVI e início do século XVII, Shakespeare comprou e armazenou grão, malte e cevada, assegurando assim que a sua família não passava fome. Além disso, também vendeu alguns desses alimentos aos vizinhos, a preços bastante inflacionados.

Esta faceta de Shakesperare faz com que o vejamos de uma forma “mais humana, mais compreensível, muito mais complexa”, afirmou à BBC a investigadora Jayne Archer.

Disponível em: <http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=3141408&seccao=Teatro>. Acesso em: 05 abr. 2013.

– Aprecie as obras de William Shakespeare na biblioteca da EBA!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s